Menu

O mundo livre do jazz agora tem o rosto do Nordeste do Brasil

26 DEZ 2018
26 de Dezembro de 2018

Não sei quem realocou o verbo "navegar" para o hábito de uso da internet, mas foi justamente em um navegação dessas, neste oceano de informações da web que conheci o trabalho do Amaro Freitas. Na verdade eu já havia ouvido ele no elogiadíssimo disco "Sangue Negro", mas infelizmente o consumo de música na internet é cheio de atropelos e eu imperdoavelmente acabei esquecendo-o.

Agora nesse 2018 tão freak, o músico lançou o seu novo trabalho “Rasif”, exclusivamente pelo selo Far Out Recordings, que também tem em seu cast os brasileiros Marcos Valle, Azymuth, Hermeto Pascoal e Arthur Verocai.
Ao lado de Amaro, o disco conta também com Jean Elton, no baixo e Hugo Medeiros na bateria.

Amaro Freitas é recifense, pianista e faz um jazz genuinamente brasileiro, misturando ritmos nordestinos como o frevo, baião e maracatu.
Influenciado também por Charles Mingus, Thelonious Monk e o nosso João Donato, o músico mostra muita fé e dedicação na música instrumental brasileira e tocou em ruas de Recife antes de chegar até os gringos.

Discaço!


Por Edson Kah.
Foto de postagem: Facebook Amaro Freitas

Voltar

Confira as nossas redes sociais

Tenha também o seu site. É grátis!