Menu

Em TEÓFILO, seu terceiro disco, Teófilo Lima entrega seu coração em forma de música.

10 AGO 2018
10 de Agosto de 2018

“Um parnaibano de Magalhães de Almeida, Parnaíba e Teresina”, é assim que o músico Teófilo Lima se define! Nascido em Parnaíba, passou a maior parte da infância em Magalhães de Almeida, (cidadezinha maranhense, dos pais). Cresceu em Parnaíba e ainda muito jovem descobriu-se artista e criou a banda Rabiscos Urbanos nos anos 1990. Depois saiu em carreira solo, rumando para Teresina, capital do seu amado estado do Piauí. No início dos anos 2000, lançou seu primeiro trabalho profissional solo Com Fusão (2001), que foi muito bem recebido pelo público piauiense, repetindo boa aceitação com o seu sucessor Matulão (2005).
Alçando voos maiores, passou um tempo morando no Rio de Janeiro e São Paulo, aperfeiçoando ainda mais sua composição escrita e musical, imergindo em novas influências e experiências. Para além da música, apresentou na rádio e na TV a Cultura do Piauí, “Piauizando” os conterrâneos, bandeira que sempre defendeu. Como animal politico que é, sempre se envolveu socialmente com o povo dos lugares por onde passou.

TEÓFILO fala disso tudo ao longo dos seus quase quarenta minutos e dez canções. Existem histórias de seres errantes que se redimem e dão a volta por cima, como em “Estações e “Homem Só”, tem romances como “Armadura”, “Em Riba do Morro” e “Empalidecer”, crítica social como em “Globalidanão” e saudades de onde passou como em “Nós e o Jaraguá” e “Morro”, poesia escrita por Arimatan Martins e musicada pelo artista. E, principalmente amor por Parnaíba (cidade e rio), Magalhães de Almeida e Teresina, como “Amigo Monge” e “Redondo & Enquadrado”.
O disco TEÓFILO foi gravado entre os anos de 2010 e 2017 no estúdio Bumba Records em Teresina por Márcio Menezes. Todo o projeto gráfico do trabalho foi feito pelo artista plástico parnaibano Daniel Mendes.
Teófilo Lima retorna em grande estilo, trazendo no peito um coração escancarado e cheio de amor pelo Nordeste, e na voz todo o peso da cultura do meio norte do Brasil.


TEÓFILO EM TODO CANTO

O lançamento do novo trabalho é uma ótima oportunidade de Teófilo Lima reencontrar e abraçar o amado povo do estado do Piauí. A turnê “Todo Canto”, visa levar a música do novo álbum TEÓFILO e os sucessos da carreira do músico para todas as regiões do estado. Também é uma ótima oportunidade do artista mais uma vez levar o nome do estado para todo o Brasil, bem como além mar.

A turnê teve inicio em março, com shows em Teresina e Parnaíba. Em Teresina, o disco foi lançado no dia seis de março (terça-feira), no Theatro Quatro de Setembro. Palco histórico da capital piauiense, que já recebeu grandes nomes da música e com quem Teófilo Lima se reencontra e apresenta suas novas canções.

Em Parnaíba o lançamento ganhou ares de festa, já que é a casa do artista. O novo trabalho foi lançado na Boate 37.
O músico já tem contato para shows em outras cidades do estado, do nordeste e do país e segue com agenda aberta.
Os parceiros de palco nesta nova fase.

Neste novo momento, no qual Teófilo Lima retoma a sua carreira musical lançando seu terceiro trabalho, feito ao longo dos últimos sete anos, o artista resolveu interagir com novos nomes da cena parnaibana, mesclando com antigos parceiros.

Sendo assim, a nova banda que acompanha o músico, é formada por integrantes do coletivo parnaibano Ultrópico Solar, nova cena de artistas da cidade litorânea. André Oliveira, exímio pianista e tecladista coma conta das teclas. Savina Alves, baixista na banda Ultrópico Solar e Negative Green soma na mistura. E Levi Nunes, uma especie de maestro e principal compositor do movimento Ultrópico Solar, se apresenta com o Teófilo munido de apetrechos eletrônicos como ipad e Synths.

Somando ao frescor da juventude, Badel Power, irmão do músico Teófilo, que tocou com ele em seu primeiro disco, retorna ao comando  das baquetas. E fechando o time, Danilo Carvalho, cineasta, ex- cidadão instigado, empresta uma pouco desta instiga tocando Gaita e Lap Steel nas apresentações ao vivo.
Juntos transformam músicas de todas as fases da carreira do Teófilo, dando um toque experimental e psicodélico a todo o peso das guitarras já características do músico.

Por Diego Albuquerque
Fotos: divulgação

Voltar

Confira as nossas redes sociais

Tenha também o seu site. É grátis!