Menu

"Como se nada fosse" abre a programação do EM CARTAZ 2018

14 MAI 2018
14 de Maio de 2018

O espetáculo Como Se Nada Fosse apresenta-se primeiramente como uma proposta de discussão relacionada à violência contra a mulher, seja ela visível ou invisível. No palco, Janaina Castaldello no personagem Mística, criada a partir da linguagem teatral do bufão. O bufão surge na Idade Média onde, ou fazia-se o rei rir ou cortavam-lhe a cabeça. Hoje, os bufões ainda estão por todos os lados, porém invisibilizados por diversos tipos de opressão. O espetáculo ainda discute a questão social da (falta de) lucidez.  Ao passear por uma linha tênue entre o que são as experiências vivenciadas e o que são os devaneios, Mística faz-nos questionar: estamos gozando plenamente de nossa sanidade? 

Sinopse

Uma mulher se vê em frente a uma porta, acreditando ser aquela a porta de sua casa. Mas ao bater ninguém abre. Ela insiste, e nada. Porta fechada, decide ficar por ali. À beira desta porta, ela se depara com seus devaneios, memórias e confissões. Como se nada fosse, ela, a Mística, revela-se como uma aparição, um ser mulher, uma borboleta, uma criação. Ou um sonho. Talvez?

Foto: Guilherme Senna

Sobre Mística

Uma mulher que identifica-se como ela, a Mística. Uma mulher, catadora e lúcida. Atenta a tudo e a todos, Mística trata de conversar com suas amizades imaginárias ao mesmo tempo que dialoga diretamente com a plateia, sem esquecer do tratamento especialmente carinhoso dado a seu gatinho, Judas. Desconhecendo quaisquer normas e padrões, Mística é avessa, causa desconforto sem deixar de ser graciosa. Sem pretensão, anuncia o universo da mulher, adentra esse universo, mergulha com unhas e dentes, e denuncia a violência, visível e invisível. Com a leveza de uma borboleta, a graça de uma bailarina e a mágica de uma feiticeira, é ela, a Mística, a força do ser mulher.

Ficha Técnica
Direção e atuação: Janaina Castaldello
Iluminação e operação de som: Geison Sommer
Produção: Juliet Castaldello
Cenografia: Cristiano Bittencourt
Figurino: Janaina Castaldello
Maquiagem: Aline Ribeiro
Cabelo: Thiago Brenner
Duração: 50min
Classificação: 14 anos


O espetáculo acontece no próximo final de semana, em duas sessões, nos dias 19 e 20 de maio, às 20:30, no Espaço Cultural Victorio Faccin. A peça também abre a programação do EM CARTAZ 2018, projeto do Teatro Por Que Não? que trará uma programação continuada de espetáculos de teatro para o Espaço Cultural Victorio Faccin. O projeto tem o financiamento da Lei de Incentivo a Cultura de Santa Maria - RS. 

No espetáculo a atriz pesquisa a linguagem bufonesca e traz a cena assuntos como a noção social de lucidez e a violência contra a mulher.


Serviço

O que: Espetáculo Como se nada fosse, no projeto EM CARTAZ 2018
Quando: 19 e 20 de maio, às 20:30
Onde: Espaço Cultural Victorio Faccin (Rua Duque de Caxias, 380, Bairro Rosário)
Quanto*: R$ 15 (antecipado) - R$ 10 (meia entrada) - R$ 20 (na hora)

*Os ingressos podem ser ?adquiridos no Espaço Cultural Victorio Faccin, de segunda a sexta-feira, 9h às 12h e 14h às 18h ou online pelo link


Voltar
Tenha você também a sua rádio