Menu

Raquel Reis lança disco de estreia em projeto audiovisual

10 JAN 2018
10 de Janeiro de 2018

O álbum de estreia costuma ser um registro especial na vida de um artista. Além de reunir experiências acumuladas durante toda a vida, é um momento onde busca mostrar sua verdadeira face para o público. A cantora e compositora brasiliense Raquel Reis fez isso em seu “Quitinete”, já disponível nas plataformas de música digital. Ela ampliou a experiência de ouvir o álbum, que é sensivelmente emocional, com um ousado projeto audiovisual.



“Ter um disco, um projeto meu com que as pessoas se conectassem e que fizesse sentido para elas sempre foi um sonho. A música para mim é como uma casa, é onde eu me sinto acolhida e completamente bem comigo”, revela ela.

 

Para representar as sensações e nuances do projeto, o disco inteiro será retratado em visualettes que expandem o conceito artístico do álbum para além da capa. Diferentemente de um clipe, o visualette tem a ideia de trabalhar imagens estáticas, como se fossem fotografias ou a arte do projeto. Raquel adotará esse formato para todas as faixas do disco, trazendo uma experiência nova para a audição digital do projeto. A fotografia é de Breno Galtier sobre direção de arte de Felipe Araújo. Yvã Santos fez a assistência de direção.

 

“Todo o Quitinete foi feito com muito carinho e atenção, e na parte da fotografia não foi diferente. O Breno Galtier e o Yvã Santos deram a ideia de transformar o Quitinete em um projeto audiovisual, levando a experiência de não só escutar, mas entrar na casa e enxergar o que a música reflete. E os visualettes são os retratos visuais de cada música”, conta Raquel, que vem trabalhando em suas canções desde muito nova.

 

A escolha do violão e da guitarra como seus instrumentos de expressão criativa, apenas aos 12, abriu caminho para uma vivência musical que passou por aulas de canto e pelo duo Morais, que apresentou sua voz ao público ao lado da também cantora Vivi Morais. Agora, Raquel Reis dá novos passos em um trabalho vocal muito mais maduro e confiante.


Foto: Breno Galtier

 

O álbum já foi apresentado ao público em pequenas pílulas. “Medianeras”, inspirada no filme argentino de mesmo nome e com poesia de João Doederlein, é uma canção de letra inspiradora responsável por este novo passo na carreira.  Em 2016, Raquel oficializou a caminhada com um vídeo ao vivo para a faixa “Cuidado”, com simples gravação em uma casa vazia. No ano de 2017, lançou, em formato acústico e intimista, novas versões de "Cuidado" e "Medianeras", além da inédita "Vermelho”. Durante o Sofar Sounds de Brasília, ela apresentou “Casa”. Além disso, com inúmeras apresentações, Raquel conquistou lugar de revelação na efervescente cena da capital federal.

 

Todas as músicas apresentadas tinham algo em comum, e na voz de Raquel surgia um mix de sentimentos e sensações, com letras intimistas. No álbum, elas foram somadas a guitarras e distorções.

 

A proposta do “Quitinete” é fazer o público sentir-se livre um um ambiente de sensações familiares, mas com camadas de surpresas que convidam o ouvinte a descobrir além da superfície das melodias e letras.

 

O álbum conta com 11 faixas e foi produzido por Adriano Pasqua junto de Fernando Vaz, que faz participação especial na faixa-título. A mixagem e masterização é de Kelton Gomes. “Quitinete” está disponível nas plataformas de música digital.

 

Ouça:

 

Spotify: http://bit.ly/QuitineteSpotify

Deezer: http://bit.ly/QuitineteDeezer

Apple Music: http://bit.ly/QuitineteAppleMusic

Google Play: http://bit.ly/QuitineteGPlay

YouTube: http://bit.ly/QuitineteVisualettes


                                                                                                                                 Por Edson Kah via Nathália Corrêa

 

Voltar
Tenha você também a sua rádio