Menu

Nevermind e Doolittle, os discos primos?

19 DEZ 2017
19 de Dezembro de 2017

O impacto que eu tive em minha cabeça quando ouvi Nevermind do Nirvana pela primeira vez, provavelmente foi o mesmo impacto que 99,9% de jovens também tiveram. É como se uma bomba ecoasse em meus ouvidos durantes todos esses anos em um loop infinito.

Certa vez li que Kurt teria sido o último rebelde do rock. Na época ri, hoje me arrependo.

Graças ao Nirvana, acabei conhecendo MUITAS bandas fodas em uma sequência desenfreada: Pixies, Stone Roses, Dinosaur jr, Teenage Fanclub, Eugenius, Melvins, etc and etc...

Mas desde que eu ouvi pela primeira vez, também o Doolittle do Pixies, percebi uma simbiose mesmo antes de Kurt confessar a própria.

O assunto passa extremamente longe do plágio, é preciso que entendam isso! (até porque Kurt Cobain estava em um patamar muito além).

Eu me refiro a um grau comparativo sadio. O da tal influência mesmo e como ela gerou um fruto sem precedentes.


Doolittle é de 1989, uma obra prima daquelas irretocáveis. Black Francis cantando com toda a sua angústia audível, seguido das guitarras mágicas do próprio e dos solos ultra dimensionais de Joey Santiago acompanhados pelos tiros certeiros da cozinha de Dave Lovering na bateria e da diva Kim Deal no baixo pulsante, insubstituível e irreparável.

O álbum estourou, explodiu, seguido do mega hit “Here Comes Your Man” que toda a pessoa no planeta terra já ouviu e tem a sua versão pra ela.

Até aí tudo bem, mas o que o Nevermind tem a ver com isso?

Ok, vamos lá...

 

Play no Nevermind!




Kurt Cobain e Kim Deal

Foto: divulgação internet


Nevermind vem 2 anos depois de Doolittle, em 91, quando o Nirvana iniciaria a morte do pop-chavão com “Smells Like Teen Spirit”.

Em Janeiro de 1994 em uma entrevista cedida à Rolling Stone, Kurt Cobain revelou que "Smells Like Teen Spirit" foi uma tentativa de escrever uma canção ao estilo do Pixies.

 

Eu estava a tentar escrever a última canção pop. Basicamente estava a tentar copiar os Pixies. Tenho que o admitir. Quando ouvi Pixies pela primeira vez, fiquei de tal maneira ligado àquela banda que devia ter pertencido a ela...”

 

Ok, então eu não estava errado.

Mas porque eu não falei ou escrevi sobre isso antes?

Lembrem que ambos álbuns foram lançados em uma época pré-internet aqui no Brasil.

But... Tem mais pela frente...

 

A capa de Doolittle tem um macaco, enquanto isso, a contra capa de Nevermind?... também.

Come as you are do Nirvana, acusada de ser um plágio de Eighties do Killing Joke, na verdade lembra mais a Here Comes Your Man do Pixies do que a citada, bata só ouvir a introdução.


 

Talvez haja mais alguns comparativos ou coincidências, mas ambas obras superam qualquer grau de crise de identidade.

 

Teria sido então, Doolittle um disco “injustiçado”?

Um disco certo na hora errada?

Talvez, quem sabe, ou nevermind! (deixe pra lá)!



                                                                                                                                                Por Edson Kah


Voltar
Tenha você também a sua rádio