Menu

Wugala Flama, cantor congolês radicado no Brasil, apresenta 'Melanine Song' na OFilme Sessions

07 AGO 2019
07 de Agosto de 2019

O groove da “Melanine Song”, de Wugala Flama & La Klika, toma conta da OFilme Sessions, série de vídeos ao vivo que promove o encontro da música com espaços urbanos. Unindo um flow de rap com a suavidade melódica do trio de violão, baixo e cajón, o grupo apresenta a canção que integrará seu primeiro EP, a ser lançado em breve. O registro em vídeo está disponível no canal da produtora OFilme no YouTube.


Natural de Kinshasa, na República Democrática do Congo, o cantor e compositor Wugala Flama formou La Klika em 2013. O objetivo é mostrar que a negritude vai muito além da cor da pele, unindo pessoas e nações que compartilham filosofias de vida, hábitos e um verdadeiro senso de irmandade.

O grupo prepara atualmente seu primeiro EP, que reunirá cinco canções mesclando as influências de hip hop, R&B, zouk, reggae e roumba. A produção do trabalho é de Eduardo Mangueman, e “Melanine Song” será a faixa-título. Liricamente, La Klika se utiliza de versos fortes para aproximar os dois lados do Atlântico e refletir o passado e o futuro da diáspora negra. O próprio nome da banda reflete esse princípio milenar de coletividade: significa “a galera”, traduzido livremente para o português a partir da língua mãe da cidade de Kinshasa, o lingala.

O vídeo da OFilme Sessions registra Wugala Flama & La Klika em Curitiba, onde estão atualmente radicados. “Vim estudar aqui e, com o tempo, acabei voltando a fazer o que sempre fiz: cantar”, conta o artista.


O clima intimista permeia toda a OFilme Sessions, embora as performances aconteçam em locais públicos. Após receber o músico Marcelo Archetti em um restaurante em Curitiba, o cantor francês Vaslo em frente à livraria Shakespeare and Company em Paris, a jazzista Carine Luup em uma cafeteria e a fadista portuguesa Ana Caixado em uma performance em Lisboa, a série faz uma conexão com a nossa ancestralidade africana.

Mesclando artistas brasileiros e estrangeiros, a OFilme Sessions vai mostrar algumas das novas vozes que se destacam na música independente. A primeira temporada contará também com o rock da banda curitibana Electric Mob; A Banda Mais Bonita da Cidade; Estela Basso, brasileira radicada em Paris; e Claudemir Franco.

Com novos lançamentos quinzenais, o projeto traz, além das músicas, um breve depoimento do artista explicando o seu processo criativo ou como aquela canção surgiu. Essa é uma realização da OFilme Produções, uma produtora paranaense focada em trabalhar a criação de conteúdos para o mercado da música. A realização é de Raphael Moraes, diretor da OFilme Produções e idealizador do projeto junto de Vinícius Braganholo, do Nico's Studio.



Por Nathália Pandeló Corrêa
Foto: divulgação

Voltar

Confira as nossas redes sociais

Tenha também o seu site. É grátis!